Jornadas de Bioengenharia chegam à sexta edição

O Núcleo de Estudantes de Bioengenharia da Universidade da Beira Interior, NEBE, organizou, nos dias 2 e 3 de maio, a sexta edição das Jornadas de Bioengenharia.

Nestes dois dias, onde estudantes, professores e oradores preencheram o Anfiteatro das Sessões Solenes, foram abordados e debatidos temas das mais variadas áreas que incorporam a Bioengenharia, nomeadamente, a bioinformática, as tecnologias médicas e o empreendedorismo.

Muitos foram os oradores e especialistas presentes nestas palestras, portadores de um objetivo comum: o de auxiliar, aconselhar e preparar os alunos para um novo mundo que se avizinha, o mundo do trabalho. Para além das habituais palestras, a sexta edição das Jornadas de Bioengenharia contou também com um Workshop de Bioinformática.

Entre muitos dos orados presentes, esteve a oradora Joana Marques, licenciada em Biologia Ambiental Terrestre pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) e mestre em Ecologia e Gestão Ambiental; a professora adjunta do Departamento de Engenharia Química do Instituto Superior de Engenharia do Porto, Goreti Sales, licenciada em Ciências Farmacêuticas, que apresentou o tema ‘’Biossensores para a Saúde’’; e Miguel Castelo-Branco Craveiro Sousa, professor associado com agregação da Universidade da Beira Interior, médico especialista em Medicina Interna e em Medicina Intensiva e, atualmente, Presidente da Faculdade de Ciências da Saúde e diretor do curso de Medicina da UBI, que apresentou uma palestra intitulada de ‘’Telesaúde’’.

Sofia Duarte e Inês Barradas, ambas alunas do terceiro ano do curso de Bioengenharia e elementos constituintes da organização das Jornadas, realçam o “balanço positivo“. Sofia considera que “estas atividades são sempre muito boas e enriquecedoras para um futuro próximo, no mundo do trabalho“. No entanto, refere que as mesmas “têm pouca audiência”, o que pensa ser “um ponto negativo”. “Mas considero que isto seja um mal geral, pelo feedback que tenho tido de presidentes de outros núcleos, infelizmente. Contudo é nestas atividades, e principalmente num curso recente como o nosso, que descobrimos o que vamos fazer da nossa vida’’, acrescenta. Por seu lado, Inês refere que ‘’estas jornadas comparadas com as conferências realizadas no início deste ano, foram sem dúvida muito melhores e tiveram uma maior adesão”. Também o número de inscrições foi maior este ano do que no anterior.

O último dia foi aquele que apresentou uma maior adesão por parte dos jovens estudantes, o que pode estar relacionado com os temas, pois, tal como refere Inês Barradas, “o curso de Bioengenharia divide-se em duas áreas, a primeira ligada com as engenharias e a outra mais vocacionada para as bios. O primeiro dia foi muito ligado à bio enquanto que o segundo foi dedicado exclusivamente às engenheiras e ao empreendedorismo”.

Em relação ao futuro, a aluna considera que este evento é para continuar: “Contamos já este ano com a sexta edição e certamente que será para continuar futuramente“.

Por: Inês Gaiola

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s